INÍCIO /// REGIÕES
 
 
 
 
 
Vestidos a rigor as várias secções representaram os hábitos e costumes de casa país.
Artigo publicado a 2017-07-06 /// 678 visualizações
 
Atividade Internacional Local
Agrupamento 970, São Pedro de Palhaça, região de Aveiro proporcionou aos seus escuteiros uma experiência internacional local. A grande missão foi realçar e preparar para a realidade global em que vivemos.
Com o objetivo de comemorar os 20 anos do Centro de Formação Padre Horácio Cura, o Agrupamento 970 da Palhaça realizou uma “Atividade Internacional Local” com o intuito de preparar os escuteiros para a realidade global do mundo que vivemos, realçando a necessidade de aceitação das diferenças culturais de outros países.

Esta atividade teve também como missão apresentar aos pais dos escuteiros a metodologia que o CNE pode aproveitar para evidenciar a importância do conhecimento e do contacto com outras culturas como importante fator para o desenvolvimento dos cidadãos do séc. XXI.

Assim, nesta atividade multicultural, a tarefa entregue a cada secção de dar a conhecer os costumes e tradições de outros países pretendeu formar e preparar os escuteiros para serem cidadãos do mundo. Para tal, propôs-se a cada secção que se desafiasse a si mesma, utilizando os seus recursos para compreender a forma de pensar e sentir das populações dos países atribuídos, com a finalidade de incorporar os seus hábitos de vida.

Os Lobitos representaram o Brasil, os Exploradores – Itália, os Pioneiros – Angola, os Caminheiros – China, os Chefes – México e os Pais – Índia. Deste modo, cada uma das secções transmitiu, nas atividades desenvolvidas neste acampamento, uma dinâmica de vivência das tradições e gastronomia de cada um dos países representados.

Deste modo, Brasil, Itália, Angola, China, México e Índia, fizeram-se representar no jantar de sábado (partilhado) as iguarias de cada um dos países, onde os escuteiros e demais participantes tiveram a oportunidade de confecionar previamente em campo. Neste jantar, os participantes puderam também vestir-se a rigor, com a indumentária tradicional que cada secção previamente combinou.

O seguimento desta transmissão de culturas e saberes pelos escuteiros aconteceu no Fogo de Conselho. Assim, se até ao momento se tinha viajado pelos diferentes cantos do mundo numa prova de sabores fantásticos, na grande festa dos escuteiros, cada secção apresentou, de diversas formas, danças, costumes e músicas típicas dos seus Países, do qual foi testemunha o nosso chefe Regional José Carlos Santos.

O culminar desta atividade aconteceu na Eucaristia Dominical, no Centro de Formação Padre Horácio Cura, local de acampamento, com a participação da Comunidade Paroquial S. Pedro de Palhaça, onde o agrupamento partilhou esta experiência internacional, evidenciando os trajes tradicionais de cada país.

Foi sem dúvida uma ótima experiência que resultou do empenho e dedicação de todas as secções do nosso agrupamento, na preparação desta exigente atividade multicultural.

No final desta atividade internacional local, acredita-se que, esta abertura a novas culturas e a preparação de cada secção para transmitir a identidade do país, tenha permitido aos escuteiros uma maior recetividade a aprender com os outros e a respeitá-los, mas também que tenha despertado não só a sua curiosidade em conhecer mais, como também a vontade de partilhar estes novos conhecimentos com outros escuteiros, pais e população que integram.

Mais se acrescenta que os escuteiros do Agrupamento 970 viveram uma experiência enriquecedora, com momentos e sensações inesquecíveis e com vontade de conhecer mais e melhor o mundo global em que vivem.

Texto e Fotografia de: Agrupamento 970, São Pedro de Palhaça.
 
Bookmark and Share