INÍCIO /// REGIÕES
 
 
 
 
 
A equipa D. Paio Peres Correia do agrupamento 100, de Tavira, foi a equipa vencedora, conquistando a especial Taça de Hogwarts.
Artigo publicado a 2017-07-13 /// 1146 visualizações
 
Pioneiros à descoberta da Magia
Realizou-se a 2ª edição do Piomagic, onde cerca de 35 pioneiros foram feiticeiros e feiticeiras à descoberta dos valores escutistas com o Harry Potter.
“Harry Potter e a Pedra Filosofal” foi o imaginário escolhido para se concretizar a 2ª Edição do Piomagic, realizada no Parque Natural da Ria Formosa, em Olhão.

Esta atividade envolveu três agrupamentos do sotavento algarvio o 100, de Tavira, o 1255, de Moncarapacho e o 1200, de Quelfes.

A atividade começou sexta à noite com a entrada das equipas na plataforma 9 ¾, para darem início ao seu raide rumo a Hogwarts. Primeiramente, as equipas descobriam, através do “chapéu selecionador” a qual das três Casas – Hufflepuff, Ravenclaw e Slytherin – pertenciam, estando os chefes destinados aos Gryffindor.

Para inovar como pedem no Acanac, as Casas estavam interligadas com os quatro elementos da natureza – água, ar, fogo e terra -, para que as equipas pudessem, simultaneamente, concretizar o 2º Desafio do Acanac. Por essa mesma razão, tiveram a tarefa de tirar fotografias a aspetos perturbadores para esses elementos durante o raide.

A manhã de sábado foi passada entre montagens de campo, criação dos gritos e das peças de teatro de cada subcampo, e de seguida, foi feita a abertura oficial da atividade, onde se pode destacar o hastear das bandeiras.

Durante a parte da tarde decorreram quatro jogos, alusivos aos obstáculos que Harry e os amigos tiveram de ultrapassar durante o primeiro filme e, tal como Harry Potter, os pioneiros foram postos à prova, onde em equipa ou em Casa, tiveram de conquistar pontos. Nesses jogos os pioneiros puseram em prática não só as suas aptidões físicas, mas também os seus conhecimentos sobre o imaginário, bem como o seu trabalho em equipa ou em subcampo.

Ao final da tarde, as equipas colocaram os seus dotes de culinária em prática para realizarem o concurso de culinária, onde a beringela foi a estrela dos pratos. À noite sucedeu-se o Fogo de Conselho, repleto de encenações referentes ao tema.

O primeiro dia terminou com um jogo noturno inspirado no jogo de xadrez do Harry Potter, onde cada equipa teve de descobrir as suas respetivas peças usando apenas uma lanterna de luz ultravioleta.

“É uma boa iniciativa juntar vários agrupamentos, visto que não se realiza muitas atividades semelhantes ao longo do ano. Além disso, dinâmica de formar Casas com outras equipas de outros agrupamentos é ótima forma de não só trocar vivências e conhecimentos escutistas, mas também de conhecer novas pessoas.” conta-nos Nilton, escuteiro do agrupamento 1200, de Quelfes.

O domingo de manhã foi marcado por um torneiro de Quidditch disputado entre as Casas, onde a Casa vencedora disputaria a final contra a Casa dos Chefes.

A atividade acabou com a celebração da Eucaristia e antes da Canção do Adeus foram divulgadas as pontuações e entregues as lembranças a todas as equipas. A equipa D. Paio Peres Correia do agrupamento 100, de Tavira, foi a equipa vencedora, conquistando a especial Taça de Hogwarts.

“A atividade demorou muitos meses a ser preparada, todavia todos os elementos parecem ter gostado da atividade e as expetativas foram mais que superadas. “ assim nos explica Chefe de Campo, Luís Santos.

E assim terminou mais uma edição do Piomagic, onde a magia e a união marcaram esta atividade.

Texto e Fotografia de: Agrupamento 100, Tavira.
 
Bookmark and Share