INÍCIO /// ACTUALIDADE
 
 
 
 
 
Escuteiros escolheram e compraram os alimentos nas quantidades ajustadas às suas necessidades.
Artigo publicado a 2017-08-04 /// 144 visualizações
 
“Loja do Escuteiro” – Autonomia, autonomia, autonomia!
O 23.º Acanac distingue-se dos restantes porque adotou uma nova forma de fornecimento da alimentação aos campos.
Dois supermercados com cerca de 600 m2 de área e com mais de 250 produtos abastecem todas as patrulhas, tripulações, equipas, equipagens, tribos e companhas que têm de cozinhar em campo.

As duas “Lojas do Escuteiro” resultam de uma parceria entre o CNE e o Pingo Doce e têm também uma forte componente pedagógica. Os supermercados permitem aos escuteiros escolherem e comprarem os alimentos nas quantidades ajustadas às necessidades, reduzindo desta forma o desperdício alimentar.

Cada subunidade recebe um cartão de débito pré carregado com um montante para gastar em alimentação durante os sete dias em que estão em campo. Desta forma, os escuteiros são responsáveis pelas compras que fazem e pela gestão do próprio orçamento.

“Foi com um enorme entusiasmo que abraçámos o desafio, lançado pelo Corpo Nacional de Escutas, de instalarmos um supermercado num ambiente de acampamento e em que se promovem valores humanos como a solidariedade, responsabilidade e empreendedorismo. A decisão de apoiarmos esta iniciativa surgiu de forma muito natural, considerando que o Pingo Doce é um especialista alimentar e porque também incorporamos, diariamente, na nossa atividade preocupação de combater o desperdício alimentar”, explica Francisco Figueiredo, Director de Supply Chain do Pingo Doce.

Os escuteiros, com esta nova forma de abastecimento, passaram a ter novas funções na preparação da sua própria alimentação e também na gestão do orçamento. “Esta forma de abastecimento implica mais trabalho porque temos que preparar os nossos próprios almoços no dia anterior, mas compensa!”, destaca David Costa, da equipa Martin Luther King, Agr. 467 – Charneca da Caparica.

Apesar de implicar um aumento de trabalho, os escuteiros preferem esta nova forma de abastecimentos porque lhes permite ter uma alimentação mais saudável. “Este novo método de abastecimento é muito mais saudável porque nos almoços volantes não temos de comer sempre pão! Para os nossos almoços volantes vamos fazer massa com atum, feijão-frade e umas saladas”, explica Bárbara Mendes, Equipa Aristides Sousa Mendes, Agr. 467 – Charneca da Caparica.

“Temos mais cuidado com a alimentação aqui do que temos em casa. A verdade é que agora temos uma melhor noção do que devemos escolher para a nossa alimentação porque somos nós próprios a comprar e a cozinhar”, conclui a Bárbara.

À boa maneira escutista, associada a esta nova forma de abastecimento está também um jogo desenvolvido por nutricionistas. O jogo incentiva à compra de alimentos saudáveis, promovendo assim uma alimentação equilibrada.

A cada alimento corresponde uma determinada pontuação que pode valer mais ou menos de acordo com os ingredientes que compõe o produto. As subunidades com mais pontos ganham o jogo nutricional.

O Acanac 2017 proporciona diferentes oportunidades educativas que procuram trabalhar a autonomia, gestão de recursos e espírito de equipa.

Texto de: Ana Silva. Fotografia de: Diogo Marcelo.
 
Bookmark and Share