INÍCIO /// ACTUALIDADE
 
 
 
 
 
300 Caminheiros e Companheiros desenvolvem atividades entre as ilhas do Corvo e Flores.
Artigo publicado a 2018-08-20 /// 430 visualizações
 
Rover Açoriano sob o lema
As ilhas de Flores e Corvo, nos Açores, recebem entre 16 e 22 de agosto, a 5.ª edição do Rover Açoriano sob o tema
Contando com 300 caminheiros/companheiros e cerca de 50 dirigentes, a atividade proporciona momentos únicos de sã convivência entre pares, com a natureza e com Deus, sendo que, para mote dos quatro polos instalados nas ilhas do Grupo Ocidental do arquipélago açoriano, três em Flores e um no Corvo, são as exortações e encíclicas do Papa Francisco a dar inspiração para que os jovens vivenciem de forma única esta atividade.

A Junta Regional dos Açores, a par com o Agrupamento 691, de Santa Cruz de Flores e do Agrupamento 1181, de Vila Nova do Corvo, planearam um conjunto de atividades que levam os jovens a conhecer a cultura, a população e a natureza idílica destas ilhas que constituem por si só, o ponto geográfico mais ocidental da Europa.

As tribos estão organizadas em quatro grandes clãs com cerca de 80 elementos cada, que possuem como designação pontos geográficos de referência nestas ilhas como são o Ilhéu de Monchique, ponto mais ocidental da Europa, o Morro Alto, a maior elevação da ilha de Flores, da Rocha dos Bordões, património natural da UNESCO e ainda do Caldeirão, local emblemático da pequena ilha do Corvo. Os Clãs rodam entre si todos os dias, sendo que é dada oportunidade a todos para passarem por cada um dos polos.

Os polos das ilhas de Flores estão localizados em Alagoa, onde os caminheiros/companheiros têm que prestar serviço comunitário, em Ponta Delgada, onde em cooperação com a Associação de Nadadores Salvadores dos Açores e da Autoridade Marítima Nacional, os participantes frequentam workshops sobre socorro a náufragos e outras atividades náuticas, na Fajã Grande, onde se proporciona o maior contato com a natureza, através do percorrer de um trilho mas também da reflexão junto às imponentes quedas de água que por ali abundam, e Vila Nova do Corvo, onde a pitoresca vila de todas as ilhas dos Açores, leva os participantes a uma viagem pelo tempo na cultura única daquela ilha.

Ivo Faria, chefe nacional do CNE, está nos Açores a acompanhar esta atividade que se realiza também no ano em que o caminheirismo comemora o seu centenário. Ivo Faria fez-se acompanhar do chefe Regional, João Tavares e no primeiro dia visitou o Corvo, apresentando cumprimentos ao Presidente da Câmara Municipal da vila corvina, mas também visitando a sede do Agrupamento 1181, ao qual presenteou com um exemplar da bandeira nacional do CNE.

Texto e Fotografia de: Organização do Rover Açoriano.
 
Bookmark and Share