INÍCIO /// NACIONAL
 
 
 
 
 
Formandos do Módulo Marítimo.
Artigo publicado a 2018-10-09 /// 1497 visualizações
 
Um palco de oportunidades, num plano de mar infinito
Nos dias 5, 6 e 7 de outubro, a região Madeira foi o oceano para mais um Módulo Marítimo.
O mar, a vela, o vento, o enorme sentimento de liberdade e ao mesmo tempo a fragilidade associada ao risco inerente à aventura, leva-nos a uma imensidão de oportunidades que nos fazem descobrir que a vertente marítima no escutismo é uma mais valia, quer em termos de aquisição de novas competências, quer em termos de progresso individual.

No final de 3 dias de formação, deste sexto módulo marítimo e dos muitos que por aí virão, os formandos ficaram com uma enorme vontade de voltar a mergulhar, neste palco infinito que foi um verdadeiro mar de oportunidades.

Nos dias 5, 6 e 7 de outubro, a região Madeira foi o oceano para mais um Módulo Marítimo. Uma formação inserida no plano da Secretaria Nacional de Adultos (SNA), promovida pelo diretor de formação náutica, Manuel Pedrosa, em conjunto com o coordenador nacional dos escuteiros marítimos, Fernando Lima.

Participaram nesta formação um total de 9 formandos: 3 do Agrupamento 216 - São Martinho-Funchal, 4 do agrupamento 217 - Sé-Funchal, a secretária nacional de recursos adultos, Susana Fonseca e o chefe nacional Ivo Faria.

O módulo iniciou-se no dia 05, com a aquisição de um conjunto de conceitos náuticos nomeadamente, topografia do navio, técnicas de navegação e segurança a bordo em atividades marítimas, sempre associados ao jogo, imaginário e mística escutista.

A aplicação destes conceitos foi posta à prova no dia seguinte com a prática de mareações à vela, a remos e a motor e com a aplicação das respetivas manobras de apoio e segurança.

Esta formação terminou com a partilha de vivências em meio náutico, reconhecendo- se a importância do jogo náutico na aplicação do método escutista. Este é mais uma ferramenta útil ao nosso dispor para o diagnóstico e avaliação do progresso educativo dos jovens e crianças.

É fundamental destacar a necessidade deste tipo de formações para a implementação de atividades marítimas, não apenas pela aprendizagem e aplicação técnica destes conhecimentos, mas sobretudo pela excelência do meio náutico em proporcionar às crianças e jovens oportunidades educativas muito apelativas.

Assim sendo... "Não te deixes ir à toa, impele a tua própria canoa".

Texto de: Ana Cordeiro, Margarita Garcias, Natacha Gonçalves, Isaque Garcias, Filipe Luís. Fotografia de: Manuel Pedrosa e Ana Cordeiro.
 
Bookmark and Share