INÍCIO /// NACIONAL
 
 
 
 
 
O apoio dos escuteiros na Operação Fátima.
Artigo publicado a 2019-05-22 /// 599 visualizações
 
Operação Fátima no CNE, o que é?
O Departamento Nacional de Proteção Civil e Segurança tem desenvolvido várias missões no interior e exterior do Santuário de Fátima. Fica a conhecer algumas das missões atribuídas aos escuteiros.
A Operação Fátima é a prestação de um serviço à sociedade, em forma de voluntariado e direcionado para a ajuda ao próximo, baseado no legado de
B-P: (...) Lembrai-vos da vossa divisa: «Sempre Pronto» ou «Alerta». Preparai-vos para os desastres, aprendendo o que se deve fazer em cada um dos que se poderão dar. (...) Palestras do Bivaque de 23.

O DNPCS (Departamento Nacional de Proteção Civil e Segurança) a pedido da ANEPC (Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil) e em estreita colaboração com a GNR e SMPC de Ourém e os Corpos de Bombeiros, tem desenvolvido várias missões no interior e exterior do Santuário de Fátima, nomeadamente:
- acolhimento e encaminhamento dos peregrinos perdidos;
-criação de corredores de emergência temporários ou permanentes para que as equipas de socorro cheguem o mais rapidamente às vítimas, em
- colaboração direta com a GNR, os Corpos de Bombeiros e o INEM;
- colaboração com a GNR no controlo de fluxo de peregrinos nos acessos ao interior do Santuário;

Estas são algumas das missões atribuídas aos escuteiros na Operações Fátima, que são coordenadas pela ANEPC, atribuindo ao CNE um posto de comando e coordenação, pelo que desta forma o DNPCS indica um Oficial de Ligação no Centro de Coordenação Operacional de toda a Operação Fátima.

Só para termos a noção do que é feito num dispositivo a 13 de maio, num ano em que não houve muitas ocorrências, este ano tiveram lugar 56 ocorrências registadas no posto do DNPCS - 41 pessoas perdidas, 10 situações de saúde e apoio direto aos Corpos de Bombeiros e INEM e 5 outras situações diversas.

A constituição deste dispositivo deve-se ao facto de, nas datas de referência do santuário, existir uma maior fluxo e movimentação de uma grande massa humana e daí a necessidade de existir mais meios de apoio e socorro. Para cada uma destas datas a ANEPC estabelece um número máximo de elementos do CNE com base no fluxo de peregrinos.

Em todos os anos são abertas inscrições para a participação de todos, mediante calendário previamente definido, sendo que a equipa comporta cerca de 30 pessoas.

O DNPCS, inserido na Secretaria Nacional para o Ambiente e Sustentabilidade, exterioriza desta forma uma imagem pública positiva de serviço e voluntariado, contribuindo para afirmar o bom nome atribuído ao CNE.

Texto de: Jorge Carreira. Fotografia de: Departamento Nacional de Proteção Civil e Segurança.
 
Bookmark and Share